9 de dez de 2012

Tyler Durden

O texto abaixo contém alguns spoilers sobre o filme Clube da Luta.
   Eu disse uma vez aqui no blog que nós teríamos novos tipos de postagens. Ainda não tinha planejado fazer análises sobre personagens cinematográficos, mas hoje eu estava passando de boa pelo Facebook, eis que uma página sobre cinema postou uma foto do Tyler, personagem do Brad Pitt em Clube da Luta, então eu tive do nada essa ideia de analisar personagens de vez em quando.
   A primeira análise vai ser justamente sobre o Tyler, não por ter sido a foto que postaram, mas por ser um personagem bastante complexo, sendo considerado por mim o melhor personagem literário já criado.
   Todos nós temos um Tyler Durden lá no fundo da alma, esse personagem é tão complexo justamente por conseguir mostrar o interior de várias pessoas em uma só.
   Creio eu que a maioria das pessoas já passou por um dia de revolta total, querendo descontar a raiva sobre todas as merdas da vida no sistema. Tyler é esse momento ápice, quando estamos realmente cansados, desistindo de tudo, nos tornamos livres para nos tornarmos outra pessoa.
   Somos apresentados a esse personagem fantástico momentos antes do primeiro contato entre ele e o narrador sem nome, ao todo, antes do encontro, aparecem quatro fantasminhas do Sr. Durden na tela, depois disso, além dos fantasmas, aparece uma imagem do mesmo na televisão do hotel do narrador, bancando de garçom de restaurante. A minha tese principal dos momentos antes do encontro é a de que quando uma pessoa se torna outra pessoa, ela já apresenta alguns indícios de mudança, ela passa por essa metamorfose conhecendo seu novo eu bem antes de encontrá-lo.
   Quando o apartamento do narrador pega fogo é quando ele percebe que encontrou a liberdade para ser quem ele quiser, perdendo todas as esperanças é que se encontra a liberdade e a liberdade está no seu eu disposto a ser realmente livre, Tyler Durden.
   Qual é a cena do filme em que o narrador cria Tyler Durden? Na minha percepção, ele não cria Tyler Durden no filme, ele já possuía esse alter ego adormecido dentro de si desde o início do filme, não há uma certeza de onde isso começou, provavelmente foi na época em que ele perde sua saúde emocional, com problemas de insônia e solidão. A libertação desse alter ego acontece bem antes de seu apartamento pegar fogo, quando o narrador sente que faltam pouquíssimas esperanças e o confronto dos dois personagens é na parte do avião, quando o narrador pega o cartão de Tyler, ambos já sabiam nessa parte que o confronto ia ocorrer de uma hora para outra, era apenas uma questão de tempo.
   No momento que o Clube da Luta é criado, nosso narrador certinho acaba perdendo todas as suas ambições, ele não quer mais aquele sofás chiques que queria antes, comparar as roupas de marca que também queria ante ou até mesmo aquela tão cobiçada mesinha no formato Yin-Yang, ele está finalmente livre para não precisar de certas coisas que antes eram importantes, razão pela qual eu amo Clube da Luta, um dos filmes mais inteligentes já feitos, é um filme crítico, mas que acaba enganando muita gente, principalmente sobre o consumismo, nada nesse filme é realmente questão de possuir alguma coisa, eu não acho que o filme seja diretamente contra o consumo de coisas, mas esse sim é um filme contra o consumismo, um filme que nos faz abrir os olhos para esse materialismo exagerado, o mesmo materialismo que nos faz colocar objetos na frente de pessoas.
   Tyler Durden é um louco ou um gênio? Um pouco dos dois, eu diria. Tyler é um personagem totalmente irônico, ele que diz em uma cena a seguinte frase: "Trabalhamos em empregos que odiamos para comprar porcarias de que não precisamos", mas em outra cena o mesmo está colocando uma arma na cabeça de um jovem, o obrigando a estudar e arrumar um emprego, coisa que não faz sentido algum. Vocês já pensaram no que pode acontecer se o cara continuar estudando e arrumar um bom emprego? Sim, ele vai ganhar dinheiro e vai gastar esse dinheiro com coisas inúteis. Tyler mesmo assim é propositalmente brilhante, existem mais de duas ou três cenas ironizadas no filme, principalmente uma que é o ponto realmente alto da ironia do ser humano. Tyler ainda poderia ter tido um pouco do narrador ou ele apenas estava fazendo as pessoas pensarem de uma maneira totalmente contrária a sua busca confundindo todas as pessoas, nós podemos ver que ele é realmente genial. A genialidade de Tyler pode ser remetida a duas cenas do filme: Tyler uma hora critica a posse, mas essa hora ele obriga o jovem a procurar emprego, Tyler também cria um exército, homens que fazem coisas para ele, homens que são mandados por ele, como em um emprego, ele chama seus soldados de macacos espaciais, pessoas que realmente não pensam e que aceitam ser mandadas por outras pessoas. A grande genialidade disso tudo é que há um ensinamento, o ensinamento é que o crime não é possuir coisas, não é possuir pessoas também, o verdadeiro crime é deixar que suas posses te possuam. Os macacos espaciais de Tyler podem ser vistos como esposas, pode ser que Clube da Luta seja um filme machista, mas nem Tyler e nem o narrador querem se casar, eles não querem ser mandados. Nosso narrador vive o primeiro ato do filme sendo mandado pelo chefe, no terceiro ato ele desiste de ser mandado e sua vida apenas consiste em mandar, mas olhem bem onde essa loucura acaba: No final seus macacos espaciais estão tão consumidos pelas ideias malucas do seu alter ego, que não aceitam mais suas ordens. Tyler, como a televisão, ironicamente vai invadindo aos poucos a mente de seus macacos espaciais. A sacada do filme é genial por si só, percebem? A maioria dos seres humanos acreditam apenas no que é mais convincente para eles, ninguém está preocupado em formar suas próprias opiniões já que outras pessoas já mastigam opiniões direto para a cabeça da maioria. Tyler tem mais esse momento genial, que inspira o narrador a olhar para o contexto geral de sua vida.
   Tyler acaba se tornando um grande aprendizado para a vida do narrador. A vida do narrador realmente começa quando a vida do Tyler termina.
   Tyler Durden é meu personagem cinematográfico favorito de todos os tempos, porque ele foi tudo o que o narrador desconhecido precisou para mudar sua vida e ele é tudo o que eu preciso para mudas minha vida. As pessoas me perguntam se eu conheço Tyler Durden, eu realmente não sei dizer por completo, mas ele é a parte de mim e de todos nós. A parte que destrói a perfeição e que quer a liberdade. Tyler Durden é lado negro que todos nós queremos controlar, mas que não conseguimos. Tyler Durden é um verdadeiro aprendizado para nossa vida e para o que é realmente importante nela.
   Eu termino essa minha análise em um momento dramático, afinal de contas, análise que é análise tem que ter um drama especial. A razão dramática é que eu adoraria fazer uma resenha de Clube da Luta aqui no blog, mas já fiz no meu blog tarefa de língua portuguesa, vocês podem ler essa resenha aqui, lá no blog vocês podem ler também uma biografia do autor do livro Clube da Luta, Chuck Palahniuk, eu postei umas entrevistas dele lá na postagem das quais ele fala sobre o filme.
   Tinha tanta coisa a mais para falar, principalmente sobre a questão da perfeição que o filme aborda, mas agora eu olhei o tamanho desse texto e se ficar maior realmente ninguém vai querer ler. A leitura infelizmente está perdendo sua força e isso é lamentável. Enfim, como não vou poder falar sobre o tema perfeição, só deixo uma frase: Quanto mais perfeito você quer ser, menos perfeito você é. Tyler é o homem perfeito de todas as maneiras que o narrador tenta ser, assista Clube da Luta novamente e comprove que acontece na nossa vida, quando você não se preocupa em ser perfeito está tudo bem, você é feliz.
   Enfim, espero que tenham gostado dessa análise, vou tentar trazer outra qualquer dia desses, ainda estou pensando em algum personagem realmente complexo, talvez nossa ciborgue problemática de Eu Sou Um Cyborg, Mas Tudo Bem! ou até o vilão dos vilões, Coringa do filme Batman: O Cavaleiro das Trevas,  quem sabe ou talvez sobre nossa vampirinha sanguinária de Sede de Sangue. O que vocês acham, ótimos personagens, não?
   Eu peço a vocês que comentem aqui em baixo para me incentivar com o blog, vocês podem até dar sugestões de personagens para análises futuras, podem elogiar e até criticar, mas comentem, os dedos de vocês não vão acabar caindo por comentar, afinal, não tem aquela verificação chata de letrinhas, eu desativei, então é só vocês comentarem normalmente sobre essa e outras postagens, digam se concordam ou descordam, podem até expressar seus próprios pontos de vista, eu vou adorar saber a opinião de todos os que comentarem. Eu também peço que me deem um toque se encontrarem algum erro de ortografia, eu quero trabalhar como corretora ortográfica, então é inaceitável que eu escreva errado, sempre vou procurar aprender com meus erros e corrigi-los acima de tudo. Eu agradeço a você que leu até aqui e que comentou, obrigada de verdade e até a próxima!
   Para todos vocês que leram até aqui deixo uma pequena mensagem do nosso velho e querido amigo Tyler Durden:

2 comentários:

(: